Rss Feed
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. O que te faz feliz?

    10 de julho de 2007

    A Thaís Torres lançou outra corrente no blog dela, com um tema muito pessoal e difícil de sintetizar em uma resposta. Mas é um questionamento legal, que te faz pensar e vale a pena responder. Como tinha falado pra "blogueira" loura, em conversa no msn, estava em um dia feliz, então seria fácil. Vamos a resposta:

    Me faz feliz acordar numa terça-feira ir comprar o jornal O Globo e ver matéria minha assinada e com chamada na capa. A assinatura da matéria traz ainda um detalhe: "Gabriel Araujo - Especial para O Globo" (ctrl C + ctrl V da matéria logo abaixo). É um exemplo do que me faz feliz. A realização profissional que tanto buscamos.
    Me faz feliz escrever. Adoro as palavras e o efeito que elas produzem, os sinônimos e antônimos, as entrelinhas, os substantivos com força de adjetivos de um texto jornalístico. Me faz feliz, ainda, pegar o carro num dia de sol, chamar os amigos, e ir ali em Penedo, São Bento, Angra dos Reis, Rio de Janeiro e pegar uma praia, uma cachoeira. Me faz feliz nadar no mar, ver o por do sol e o luar.
    Me faz feliz a companhia da família nas festas, dos amigos, num churrasco, num barzinho ouvindo música ao vivo. Ouvir boa música. Me faz feliz também um beijo na pessoa que eu amo, quando eu amo. E quando não amo, alguns beijos de vez em quando.

    Passo a bola pra:
    Aline Rodrigues e Lígia Araujo.

    ______________________________________________
    Agora a matéria do "enviado especial", motivo da minha felicidade no dia de hoje. Foi publicada na página 22 do jornal, editoria economia, apenas na versão impressa:

    Temporão diz que quebra de patente
    de remédio antiAids foi caso específico


    Novartis gasta R$ 223 milhões para expandir fábricas em Resende e SP

    Gabriel Araujo
    Especial para O Globo

    RESENDE. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse ontem em Resende, no Sul Fluminense, para um auditório de empresários da indústria farmacêutica que a quebra de patente do medicamento Efavirenz, produzido pelo laboratório Merck Sharp & Dohme e utilizado no tratamento de Aids, foi um caso “circunscrito”. O Ministério tenta afastar a desconfiança dos empresários do setor.
    - O decreto para o licenciamento compulsório foi um caso circunscrito. O governo foi obrigado pela intransigência da empresa a tomar essa medida – reafirmou o ministro da Saúde, que participava na manhã de ontem da inauguração da expansão de duas fábricas da farmacêutica suíça Novartis – uma em Resende (RJ) e outra em Taboão da Serra (SP).
    Na expansão das fábricas, a empresa investiu R$ 223 milhões, com a expectativa de triplicar o volume de exportações até 2012. Serão criados 400 empregos diretos. A Novartis fornece aos programas do governo federal, sob patente, três medicamentos para o tratamento de hanseníase, câncer e hipertensão.
    Foi a primeira reunião de Temporão com um presidente da indústria do ramo de farmácia depois de dois meses do decreto assinado pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva, permitindo aos laboratórios brasileiros a produção de um genérico do Enfavirenz. Após o encontro com o ministro, o presidente da Novartis, Daniel Vasella, foi recebido, ontem à noite, por Lula, em Brasília.
    Descartando a possibilidade de novas quebras de patente, Temporão conclamou as produtoras de remédios a investirem no país.
    - A postura do governo não é a intransigência. Venham para o Brasil e podem confiar no presidente Lula.
    A quebra de patente só aconteceu, segundo Temporão, diante da dificuldade de acordo para a redução do valor do medicamento mais utilizado para o tratamento de casos de Aids no país. Antes da assinatura do decreto, o ministério se reuniu oito vezes com executivos da empresa que não cediam em reduzir o preço do remédio ao mesmo patamar praticado em outros países. A Merck vendia o comprimido do Enfavirenz por US$ 1,59, enquanto na Tailândia o valor era US$ 0,65.
    O diretor coorporativo da Novartis, Nelson Mussolini, confirmou a preocupação do mercado farmacêutico em relação ao licenciamento compulsório. Ele criticou a quebra de patente.
    - Existe uma preocupação e acreditamos que a quebra de patente não pode ser usada de forma atabalhoada pelo governo - disse Mussolini, apontando entretanto que a legislação do país está de acordo com as definições da Organização Mundial de Saúde.
    Mussolini descartou que a atitude do governo tenha feito recuar os planos de expansão de investimentos no país.
    | |


  2. 5 comentários:

    1. Thais Torres disse...

      Gabriel,

      Você não sabe o quanto me fez feliz ao ler esse post! Cara, lembro-me de você, tímido, na redação da Voz como "pupilo" (argh!) do JC Moreira e que um dia veio conversar comigo sobre como poderia ficar mais dentro da redação, conosco, aprendendo. E em um outro dia - em que eu estava aflita na janela, olhando para baixo - você foi lá conversar comigo para saber o que estava acontecendo. Naquele momento tive a certeza que você era especial.

      Poxa...

      Sinto muito orgulho de você, de verdade!

      Essa será a primeira de muitas matérias publicadas em jornais de grande circulação. Tenha certeza!

      Sobre a corrente - boa demais sua resposta. É como eu disse: curtir as coisas simples que a vida nos proporciona, basta para algumas pessoas. Bom saber que pra você também é assim.

      Sucesso! E a matéria ficou ótima. Percebi que conseguiu entrar na Novartis, né? Rs...

      Parabéns!

      Bjinhos ; )

    2. oww.. vc nem imagina o qto me emocionou ler esse post aqui.. sei lah, é um misto de felicidade, de realização (a realização dos meus amigos faz parte da minha), de alegria.. poxa biel.. de coração: PARABÉNS!!
      Começando a responder a corrente: uma das coisas q me faz feliz é acordar e ler coisas boas assim, se eu já achava tão legal comprar o Diário e ver matéria sua assinada, imagina agora.. será q ainda acho jornal de ontem na banca? rs (pode deixar q a resposta completa vai depois no meu blog!!)..

      é par gostei de ler sobre as coisas q te fazem feliz..
      uma dúvida.. receber chutes durante um forró chato tb naum te deixa feliz?? hauhuahua

      bjãoo.. e novamente: PARABÉNS!!

    3. Felipe Cruz disse...

      Cara! Parabéns !!! Vc é foda! Muito foda mesmo! Da nossa turma eu sempre achei vc e o Douglas os melhores!!!

    4. Liu disse...

      responsabilidade ;D .. mas vou responder à corrente
      sobre a matéria e sua realização profissional, saiba que fico muitíssimo feliz por você... Eu comprei o jornal 'diário do vale' quando sua primeira matéria saiu, lembra? sou sua fã numero um e espero poder comentar a colegas e amigos, quando você for um jornalista conhecido, que tive o prazer de acompanhar seu crescimento. VOCÊ É FODA !! ;D
      E parabéns de novo pela matéria e seu nomezinho no globo.
      Eu, que li você falando sobre uma igreja abandonada em BM que servia de abrigo pro povão, agora sabendo que nome saiu no GLOBO, com uma matéria BOA, posso repetir, pela 78345643ª vez : CARALHOOOO! PARABÉNS :D

    5. Jussara Soares disse...

      Parabéns, Gabriel!
      Que seja a primeira de muitas matérias e alegrias. Sucesso, rapaz!