Rss Feed
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. A violência chegou a um cúmulo inacreditável! Um budista nervoso bate em um monge que diz que vai processar o budista. A pancadaria, deflagrada no jardim do "templo", teve direito (pasmem) até mesmo a pauladas e ponta-pés. Depois dessa, fica difícil se assustar com qualquer "situação violenta". A barbàrie chega até aqueles que deveriam ser os que buscam a paz e tentam ensinar outras pessoas a buscá-la. Mas claro, a paz não tem haver com ensinamentos de uma ou outra religião. A paz é fazer escolhas, é trajetória cultural e também decisão política, social, e individual... Leiam abaixo a notícia na íntegra. ______________________________ Budista bate em monge em sessão de meditação Um budista bateu em um monge durante uma sessão de meditação no Templo Busshinji, da Comunidade Budista Sotozenshu da América do Sul, na rua São Joaquim, Liberdade (região central). A briga aconteceu no último sábado, e o caso foi parar na delegacia do bairro. Durante o seu depoimento, o monge prometeu processar o budista. Ele não foi preso e a reportagem não conseguiu localizá-lo.O monge de 39 anos, que sofreu a agressão, contou à polícia que é voluntário no templo. Ele e o budista acusado ensinam no local técnicas de meditação. O monge contou aos policiais que recentemente advertiu o budista ao vê-lo sendo agressivo com os alunos. Segundo o seu depoimento, no último sábado, o budista e ele receberam iniciantes para mais uma sessão de meditação. Durante a sessão, o monge teria chamado o rapaz para uma conversa no jardim do templo. O monge, então, comunicou o monge superior sobre a advertência que havia dado ao budista e o informou de que conversaria com ele no jardim da comunidade. Segundo o monge, no local, o budista ficou exaltado e deu um chute no seu peito. Em seguida, o budista teria sacado um pedaço de madeira, semelhante a uma marreta, e batido com o objeto na cabeça do monge.Um dos princípios essenciais do budismo é o da não-violência. A religião considera que é preciso haver respeito por todas as formas de vida. O porteiro e dois freqüentadores do templo teriam presenciado as agressões. A reportagem foi ontem até o templo. Lá, monges afirmaram que a pessoa que teria visto a briga e que saberia dar explicações sobre o ocorrido só poderia ser encontrada hoje. Se condenado, o budista deverá receber como pena a prestação de serviços comunitários. Publicado em 14 de abril de 2007, no portal da Folha de São Paulo.
    | |


  2. 1 comentários:

    1. ligia disse...

      meio atrasada a notícia ;P

      rsss

      Mas fala de você gabriel.. mania de jornalista. FOFOQUEIRO haeiouheaihiaeu
      beijo queridooo
      =D